segunda-feira, 5 de junho de 2017

Lave Seu Carro Você Mesmo

Lavar o Carro não é a atividade mais legal do mundo, convenhamos. Mas deixá-lo limpinho ou pelo menos evitar que ele fique imundo é necessário para passar uma boa impressão ao andar na rua, estacionar na frente do seu trabalho ou dar carona à alguém.
O melhor a fazer é aproveitar um dia de sol para lavá-lo. E se você souber o que está fazendo, fica muito mais fácil. Se atente para as nossas dicas.
Separe um balde com água e sabão nas proporções indicadas na embalagem. Assim você evita sujeiras e também espuma excessiva. Em um outro balde, separe apenas água limpa.
Comece molhando todo o carro com o auxílio de uma mangueira, e sempre comece pelo teto do veículo. Remova poeira e areia que podem riscá-lo. Também sempre limpe a esponja para evitar riscos, utilizando o balde que você separou com água limpa.
A parte inferior é sempre a mais suja, então deixe-a por último e quando for limpá-la, utilize uma escova com cerdas macias. A parte inferior do veículo é cheia de poeira, barro e graxa, você não vai querer começar por ela.

Deixe os vidros para limpar quando toda a lataria já estiver limpa, se não você vai ter que repetir todo o processo, o que demorará mais ainda. Quando for fazê-lo, utilize movimentos verticais e horizontais, os circulares podem riscar o vidro. E lembre-se de sempre utilizar um produto específico, chamado limpa-vidros.
No interior comece sempre aspirando o chão e depois o estofamento. Limpe com aspirador porta copos e compartimentos. Depois utilize água e sabão e uma escova macia para os bancos. Nunca molhe-os, apenas umedeça o necessário.

Para os tapetes basta um jato forte da água para os de borracha e uma escova úmida para os carpes de tecido. E pronto seu carro estará limpo e novo!

sábado, 3 de junho de 2017

Tabela FIPE - Para que serve?

A tabela FIPE é nada mais nada menos que uma tabela com o padrão de preços. Para ser montada são feitas pesquisas de preço em todo o território do Brasil. O responsável por pesquisar e divulgar os dados é a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas. Como já deu pra ver, é do instituto que a tabela herdou o seu nome.
Para ser montada, o Instituto de Pesquisas precisa levar em consideração alguns fatores. São eles:
·         Cor do automóvel.
·         Ano de fabricação do veículo.
·         Estado em que está sendo realizada a venda.
·         E por último, mas não menos importante, a marca do veículo.
Mesmo que a cor, ano, modelo sejam os mesmos, o preço pode variar em uma margem de até 15% conforme a região da compra e venda. Elas mudam muito por causa do Estado.
A variação ocorre por causa da oferta e demanda de venda. São fatores cruciais para que você consiga vender seu veículo barato. Quanto menor a procura e maior a demanda, mais desvalorizado o veículo ficará.
Você quer saber Quando usar a tabela fipe? Ela serva para cotar os preços na hora de comprar um veículo, seja ele novo ou usado. Os carros novos vem com preço sugerido de fábrica, então ela acaba sendo usada mais ainda na negociação de carros que já tiveram um dono.
Além da tabela FIPE, você deve verificar a quilometragem rodada e estado de conservação do veículo. A desvalorização deve ser corrigida conforme esses dois fatores também.

Ao contrário do que muita gente pensa, a tabela FIPE não serve apenas como um termômetro na hora se escolher o preço de venda do seu veículo. Com ela é possível medir a desvalorização que as marcas e carros sofrem ao decorrer do tempo. Esse também deve ser um fator lembrado na hora de comprar um carro novo. 
Veja o vídeo disponibilazado no site oficial: https://youtu.be/56alfHaU5Fs